Anuidade Zero

Você esta cansado de todo mês ter que pagar aquela taxa enjoada no seu cartão de crédito? Faça como eu… Pra que pagar anuidade se existem vários cartões que não cobram essa taxa. Só paga anuidade de cartão de crédito quem quer.


É só você pensar que qualquer compra que você faz, o comerciante/loja paga uma taxa para utilização do serviço e você ainda também ter que pagar mais uma outra taxa?? É facilidade demais pros bancos. Vamos começar nossa campanha. ANUIDADE ZERO


OBS: Após a nova resolução do Banco Central, a grande maioria dos cartões passou a cobrar anuidade. Atualmente somente o Santander Free, Petrobras, Saraiva e Hipercard continuam totalmente isentos de taxas. Os demais cartões listados possuem anuidade, só que eles oferecem vantagens que como seguros automáticos e serviços para o lar. Mas sempre leia com atenção os termos antes de solicitar ao banco.



Não achou o cartão desejado? Faça outra busca



Apple acha que iPhone pode substituir dinheiro e cartão de crédito

Tim Cook, o CEO da Apple, considera a carteira um “problema que a Apple pode solucionar”. Como? Utilizando o leitor de digitais do iPhone para autenticar senhas em lojas físicas e virtuais pelo mundo, segundo o Business Insider.

Se o plano der certo, a empresa poderá substituir os cartões de crédito em pagamentos do dia a dia, tornando mais eficiente a segurança para as empresas e dando mais segurança aos usuários, que só poderão efetuar pagamentos com suas digitais.

Atualmente, a divisão de vendas online, somando iTunes Store, iBooks Store e App Store, cresce 11% ao ano, tornando-a a segunda área mais lucrativa da empresa, atrás apenas da venda de iPhones.

Com 800 milhões de números de cartão de crédito cadastrados, a empresa tem mais números até do que a Amazon, o que tornaria a empreitada no mundo de pagamentos mais plausível. Os usuários não teriam que criar novas contas ou fazer um outro acordo, já que utilizariam o mesmo método de pagamento a que já estão acostumados nas lojas virtuais.

Existem rumores de que a Apple estaria pensando em comprar a PayPal, maior empresa de pagamentos online dos EUA, concorrente direta do Google Wallet.

Atualmente, pagamentos online com leitor de digitais já são possíveis com o Samsung Galaxy S5, por meio do PayPal. Vale notar que os leitores de digitais, tanto do Galaxy S5, quanto do iPhone 5S podem ser hackeados, não sendo, portanto, formas completamente seguras de pagamento.

Por Olhar Digital

 

Tenha controle financeiro usando cartão Pré pago

No mês de abril, o índice de famílias endividadas que relataram ter dívidas entre cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro subiu e atingiu o patamar de 62,3%, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Entre as principais dívidas, o cartão de crédito lidera. Uma opção para quem quer aliar a facilidade de uso do cartão de crédito com controle financeiro é o cartão pré-pago.

Segundo o diretor executivo da Acesso, empresa especializada em pagamentos pré-pagos, Bernardo Faria, o pré-pago é uma solução para desbancarizados, sem acesso ao crédito e pessoas que querem controlar os gastos. “Diferentemente do cartão de crédito, que a fatura chega após o gasto mensal, com o pré-pago é necessário reservar o dinheiro antes de se comprometer com a compra. O que limita os gastos e educa o consumidor ao controle financeiro”. Veja abaixo cinco motivos de porque o cartão pré-pago pode ajudar a controlar as finanças:

1- Fácil controle financeiro dos filhos

O cartão pré-pago pode ser utilizado como uma forma de ensinar crianças e adolescentes a utilizar com consciência o dinheiro. Os pais têm acesso à movimentação completa de cada cartão pré-pago que emitirem, evitando surpresas com a fatura no fim das compras. Além da segurança e comodidade para as crianças, que não precisam andar nas ruas com grande quantidade de moeda em espécie.

2- Diminuir e eliminar excessos

Com o dinheiro separado para devidos fins, fica mais fácil para o usuário perceber e logo evitar gastos como supérfluos, que poderiam passar batidos com facilidades do crédito e virem como bombas no dia da fatura.

3- Compras a vista, não a prazo

O pré-pago faz o pagamento à vista, sendo a autorização da compra liberada apenas mediante saldo disponível.

4- Tarifas claras e sem surpresa

As tarifas dos pré-pagos são bem claras, como mensalidade, tarifas em recargas e saque, o que dá a segurança ao cliente de saber o que está sendo cobrado pelo serviço.

5- Controlar gastos pela internet

Aceito em lojas nacionais e internacionais na internet, o pré-pago é um excelente opção para quem tem receio de incluir os dados do cartão de crédito na internet. Além disso, possibilita melhor controle dos gastos.

Fonte: Jornal do Amanha

Lei do cartão de crédito no RJ deve ser questionada

Especialistas em Direito Bancário e Direito das Relações de Consumo preparam-se para questionar na Justiça a Lei 6.716, promulgada em março deste ano pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, que obriga operadoras de cartão de crédito e débito a emitir um relatório no ato da tentativa de compra nos casos em que o cartão tenha sido recusado. A regra obriga que as empresas informem ao cliente o motivo pelo qual ocorreu a negativa de sua aprovação.

A nova lei, já em vigor, impõe multas às operadores em caso de descumprimento. Os deputados derrubaram o veto total do governador Sérgio Cabral (PMDB) sobre a proposta do deputado Luiz Martins (PDT). Para o advogado Francisco Antonio Fragata Jr., especialista na área e sócio do Fragata e Antunes Advogados, há um equívoco na vigência imediata do texto. “O legislador fluminense, ao editar essa lei, optou por uma medida de apelo popular porque não levou em conta que as operadoras terão de adequar equipamentos e sistemas apenas para o Rio de Janeiro, e isso exige um período de trabalho e testes”, afirma.

“As empresas que trabalham com cartão de crédito e débito não têm condições de atender as exigências da nova lei da noite para o dia e isto poderá provocar desgastantes litígios entre consumidores e comerciantes no Rio de Janeiro”, afirma. Outra possibilidade de litígio é com a geração de dano moral, diz Fragata Jr. “Imagine um consumidor receber o relatório, na frente do lojista com a indicação ‘indício de fraude’. Para a administradora isto é uma atitude de defesa ao sistema (que envolve o consumidor, a administradora e o lojista). Mas poderá ser tido como causador de um dano moral.”

O advogado avalia que não há vantagem para o consumidor em saber o motivo da recursa na hora da compra, já que pode entrar em contato com a administradora para esclarecer e sanar o problema. O autor do projeto tem visão diferente. Na justificativa do texto, Luiz Martins diz que a medida garante transparência nas operações. “Em diversos casos a pessoa possui crédito e não consegue efetuar suas compras, o que causa momentos de constrangimento e desrespeito, contrariando principalmente o Código de Defesa do Consumidor, que exige informações transparentes.”

Fonte: ConJur