Daqui a duas semanas, o rotativo do cartão de crédito como todo brasileiro conhece deixará de existir. Ele passará a valer por apenas 30 dias e, depois desse prazo, o consumidor terá de optar por um parcelamento caso não quite o saldo devedor. Segundo especialistas, a mudança é positiva, uma vez que os juros do rotativo são hoje os maiores do mercado, acima de 15% ao mês, em média, e os principais bancos vão cobrar de 1% a 10% ao mês no parcelamento. O problema é que a dívida poderá ser esticada por até dois anos — uma armadilha de longo prazo para pessoas que já estão com as finanças descontroladas, o que pode representar um pagamento ainda maior de juros ao fim do período.Continuar lendo



Já é uma realidade sair só com o seu smartphone Samsung e pagar contas em bares, restaurantes e postos de gasolina. Mas a Visa teve uma ideia ousada para tornar a tecnologia de pagamentos ainda mais invisível: óculos escuros.

A empresa anunciou no festival de cultura e tecnologia South By Southwest (SXSW), realizado nos Estados Unidos, e colocou a novidade em testes durante um campeonato de surf na Austrália na última terça-feira (14).

Funciona assim: os óculos têm uma tecnologia chamada NFC (que permite comunicação por proximidade). Em maquininhas de pagamentos com suporte para isso – já há muitas dessas no Brasil –, basta encostar os óculos para realizar um pagamento.

Você precisa carregar (com dinheiro) o cartão pré-pago vinculado ao chip NFC embutido nos óculos. Dessa forma, se você, por exemplo, perder seu acessório, quem encontrá-lo não poderá estourar seu limite do cartão de crédito.

A Visa não deixou explícita a necessidade ou não se senhas. Porém, outras iniciativas semelhantes da empresa dispensavam o uso de códigos de verificação comuns. Era só tocar, pagar e ir embora.

Os óculos usados pela Visa nessa fase inicial são da Ray Ban. Vale notar que não é preciso recarregar o gadget, o chip NFC não precisa de energia para funcionar.

visa-waveshades738x410.jpg

Não é a primeira vez que a Visa tenta transformar acessórios em meios de pagamento. Durante a Olimpíada Rio-2106, a companhia distribuiu entre atletas, influenciadores e jornalistas uma pulseira com chip NFC e um cartão pré-pago vinculado.

EXAME



Para aumentar as vendas, é comum que as empresas realizem descontos de produtos, forneçam cupons, vale-presentes, entre outras cortesias. São forma também de fidelizar seus clientes e conquistar novos.

Hoje, no Dia do Consumidor, muitas empresas usarão esses recursos para agradar aos consumidores. O que transforma a data em um momento ideal para as tentativas de golpes por parte dos  cibercriminosos.

Segundo pesquisas realizadas pelos especialistas da Kaspersky Lab, em momentos como este a incidência de ataques de phishing aumenta, principalmente contra sistemas de pagamento e lojas virtuais. Os cibercriminosos brasileiros também recorrem a  duas outras modalidades de golpe: phishing via SMS e a compra de anúncios em redes sociais. Continuar lendo

A fim de levar aos consumidores um cartão de crédito inovador, muito além do que apenas uma forma de pagamento, a fintech Trigg (https://www.trigg.com.br/) acaba de lançar um cartão de crédito digital completamente diferente dos cartões existentes hoje no mercado. A novidade traz benefícios tanto para o usuário quanto para a sociedade.

O Trigg Visa pode ser solicitado por meio de aplicativo no celular (IOS e Andoid) e permite ao usuário um cashback de até 1.3% do valor gasto na fatura mensal, que poderá ser utilizado como crédito na fatura ou doados para o Triggers powered by Visionários (www.triggers.com.br), programa de empreendedorismo social. Trata-se do único cartão no Brasil conectado à uma ideia de fomento ao empreendedorismo social. “Considerando, por exemplo, um retorno de 1% ao mês, se o cliente tiver uma gasto mensal de R$3.000,00, seu resgate mensal será de R$30,00, o que totaliza R$360,00 no ano”, explica Marcela Miranda, sócia e Head da Trigg.

“Estamos trazendo para o mercado brasileiro mais que um cartão de crédito, mas uma nova forma de pensar a tecnologia digital aplicada ao mundo das finanças. É uma lógica que envolve cooperação, mutualidade e renúncia em benefício do apoio e desenvolvimento de negócios naturalmente sustentáveis.”, ressalta Marcela.

Triggers powered by Visionários é um programa de empreendedorismo social, em que grupos de jovens, mentorados por grandes lideranças, resolvem desafios, participam de um programa de pré-aceleração e no final, a equipe que apresentar uma grande ideia com modelo de negócio validado, receberá uma empresa já constituída, 4 meses de aceleração e um investimento de R$ 50.000,00. Esse investimento poderá ser maior, se os clientes do cartão Trigg se identificarem e “investirem” uma parte do seu cashback.

O cartão ainda permite uma experiência 100% digital, permitindo que o cliente faça tudo pelo aplicativo de maneira prática e rápida. Acesso à fatura, bloqueio e desbloqueio, consulta e alteração de limite etc. As compras online podem ser realizadas desde o momento da aprovação da análise de crédito do usuário, antes mesmo da chegada do cartão físico; não há necessidade de ter uma conta em banco, além da gratuidade da anuidade do cartão nos três primeiros meses.

(Redação – Agência IN)

A empresa de transporte urbano 99 vai lançar em março uma máquina para receber pagamentos com cartão de crédito e débito. A maquininha poderá ser usada tanto nas corridas de táxi da 99 como na Pop, modalidade que concorre diretamente com a Uber _viagens são feitas por motoristas autônomos.

Hoje, pagamentos na 99 só podem ser feitos com paypal ou cartão de crédito cadastrado no aplicativo. Já a Uber aceita pagamentos em dinheiro ou cartão de crédito. Nenhuma delas aceitava pagamento em cartão de débito, opção que a 99 passará a dar. Taxistas sem vínculo com empresas de transporte já trabalham nas ruas com máquinas que aceitam cartão de débito e crédito.

A novidade será testada em São Paulo, e há previsão de ampliar o atendimento para as 550 cidades em que a empresa atua.

VEJA

Segundo dados de uma pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito, as compras com cartões de crédito e débito no Brasil devem aumentar cerca de 6,5% em 2017.

O levantamento também apontou que o saldo da carteira de cartões de crédito atingiu 172,5 bilhões de reais em agosto de 2016, superando pela primeira vez na história o estoque de papel moeda em circulação, que no mesmo mês foi de 170,1 bilhões de reais.

Todas essas informações indicam uma tendência no crescimento no uso de cartões. Por isso, é fundamental que todos os estabelecimentos comerciais se adaptem à essa realidade.Continuar lendo

Os bancos começam a explicar a seus clientes como farão para parcelar a dívida no rotativo do cartão de crédito.

Em janeiro, o CMN (Conselho Monetário Nacional) publicou as regras que proíbem bancos de deixar um consumidor por mais de 30 dias no rotativo.

Depois desse prazo, a instituição é obrigada a oferecer condições mais favoráveis para o pagamento da dívida –leia-se, juros mais baixos e prazo maior.

As regras começam a valer em 3 de abril. Com isso, o cliente que entrar no rotativo no próximo mês e não puder quitar o valor devido em maio terá sua dívida parcelada.Continuar lendo

Empresa fechou acordo com Superlógica e Global Payments para lançar iniciativa pioneira de pagamento mensal por meio do cartão de crédito.

A Mastercard, por meio de uma parceria exclusiva com a Superlógica, desenvolvedora de software para administração condominial, e a Global Payments, fornecedora de serviços de pagamento eletrônico, passa a oferecer aos condôminos a opção de pagamento recorrente mensal por meio do cartão de crédito.

Segundo estudos da Mastercard Advisors e Superlógica, com base em números do IBGE e Euromonitor, esse mercado deve movimentar R$ 61,3 bilhões no Brasil já neste ano.

“A Mastercard, ao colocar o consumidor no centro de sua estratégia, oferece a ele opções simples, seguras e inteligentes de pagamento. Com isso, colaboramos para desenvolver uma tecnologia que faz com que o portador crie uma recorrência automática no pagamento da taxa condominial, gerando conveniência e evitando contratempos”, declara Alexandre Brito, vice-presidente de desenvolvimento de aceitação, varejo e novos negócios da Mastercard Brasil e Cone Sul. Ele ressalta o pioneirismo da empresa em investir no setor de administração condominial no Brasil.

De acordo com Marcia Nogueira de Mello, presidente da Global Payments no Brasil, “a parceria traz comodidade e automatiza uma demanda operacional para as administradoras de condomínios”. “A plataforma da Global Payments cria essa série de benefícios aos condôminos e às administradoras, fornecendo uma nova opção para o pagamento de taxas”, completa André Baldini, vice-presidente de vendas da Superlógica.

Como funciona

Dentro do sistema da Superlógica, os clientes cadastram apenas uma vez os dados do cartão de crédito em um ambiente seguro, chamado Área do Condômino. A partir deste cadastro, as mensalidades recorrentes posteriores são cobradas de forma automática.

IDGNOW

dicas para usar o cartão

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal aprovou um projeto de lei que estabelece um limite aplicado para os juros em cartões de crédito. Pelo texto, os juros poderão se limitados a, no máximo, o dobro da taxa do Certificado de Depósito Bancário, o CDI.

Atualmente, a taxa mantém-se próxima à Selic, que corresponde a 14% ao ano. Ou seja, se a lei já estivesse em vigor, o limite de juros para os cartões de crédito seria de 28%. Com a decisão da comissão, o projeto segue para votação em Plenário.

Corre em paralelo na Câmara uma Proposta de Emenda à Constituição que abrange um cenário maior para a limitação da taxa de juros. Embora a PEC 160/2015 faça que o limite possa atingir o triplo da Selic, ela amplia a limitação de juros para financiamentos, como habitação e veículos.

A deputada Zenaide Maia (PR-RN) ainda espera a aprovação de sua proposta feita no ano passado. A relatora, Gorete Pereira (PR-CE), já votou pela admissibilidade do projeto e espera apreciação da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.

Fonte: Jornal O Globo