Em breve ‘Pagamentos digitais’ vão superar cartões de crédito

pagamentos digitais

A Conferência das Nações Unidas Sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) divulgou um estudo sobre as mudanças que a tecnologia deve trazer à economia global nos próximos anos. Segundo o documento, formas digitais de pagamento, como PayPal, Apple Pay e Samsung Pay, superarão cartões de crédito em 2019 para pagar compras feitas pela internet.

De acordo com o estudo, atualmente mais da metade dos pagamentos de compras feitas em e-commerce é paga com cartões de crédito ou débito. No entanto, a organização estima que essa porcentagem se reduzirá a 46% em 2019. Isso deve acontecer por causa de um aumento no uso de sistemas de carteiras virtuais (como o PayPal) e de pagamentos pelo celular (como o Apple Pay e o Samsung Pay).

Quem vai sentir primeiro

Essa mudança deverá ser mais notada em países mais economicamente desenvolvidos, como Estados Unidos e os da Europa. Nos outros, porém, os cartões ainda são usados de maneira pouco frequente para pagar compras feitas pela internet. Um exemplo citado pelo documento é o Egito: por lá, 90% das transações de e-commerce são pagas em dinheiro no momento da entrega.

O Quênia, por outro lado, apresenta uma situação bem diferente. No país, sistemas de pagamento virtual já superaram os cartões como formas de pagamento para essas compras. E, de fato, 79% dos quenianos disse considerar métodos de pagamento pelo celular a melhor maneira de pagar por bens e serviços comprados pela internet.

Nisso, o país se assemelha à China, país no qual 68% da população já utiliza o sistema de pagamento móvel Alipay, da empresa Alibaba. Segundo outro relatório da ONU, esse sistema, junto com o WeChat Pay (outra solução chinesa semelhante) processaram mais de US$ 3 trilhões em pagamentos ao longo de 2016.

Vantagens

Segundo o relatório da UNCTAD, essa mudança para formas digitais de pagamento traz uma série de vantagens. De maneira geral, os pagamentos digitais “fazem as transações ser mais rápidas, reduzem os atritos e diminuem os custos das transações, oferecendo ganhos de produtividade”, diz o documento. Para países em desenvolvimento (como o Brasil), eles também podem ajudar em problemas como sonegação de impostos.

Fora isso, esses sistemas também são mais interoperáveis do que os cartões. Por exemplo: um cartão de crédito de um país pode não ser aceito para compras feitas em outro pela internet; uma solução como o PayPal, no entanto, não tem esse problema. No futuro, o estudo acredita que soluções baseadas em blockchain devem crescer também como método preferido para compras feitas entre países diferentes, por causa do risco e do custo reduzidos que elas proporcionam.

Fonte: Olhar Digital



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *